Territórios Inteligentes

TERRITÓRIOS INTELIGENTES

FINALIDADE

. Contribuir para um turismo cada vez mais sustentável, responsável e inteligente, fomentando a valorização e qualificação do território, a coesão territorial e social, assim como o desenvolvimento de produtos, serviços e negócios inovadores que respondam às necessidades e interesses dos que nos visitam e que comportem, para além de vantagens competitivas para as organizações, benefícios sociais tangíveis e menor impacto no meio ambiente.

. Linha de apoio específica que incentive o desenvolvimento de projetos que impulsionem a digitalização dos territórios e que, por essa via, consigam assegurar um quadro mais sustentável para o desenvolvimento da atividade turística e para a geração de valor.

ÂMBITO SETORIAL

Qualquer setor de atividade, desde que os investimentos se encontrem alinhados com a tipologia de projetos enquadráveis no Programa Transformar Turismo.

  • Micro, pequenas ou médias empresas com Certificado PME;
  • Entidades públicas;
  • Outras entidades privadas: associações;
  • Consórcios.

TIPOLOGIA DO PROJETO

Projetos que contribuam para os objetivos do Programa Transformar Turismo e estejam suportados em tecnologias e em aceleradores de inovação, (internet of things (IoT), inteligência artificial (IA), impressão 3D, novas interfaces humanas e digitais, robótica e blockchain), com o seguinte âmbito:

– Projetos que visem a captação de dados sobre o território e sobre a atividade turística, e a sua conversão em informaçao com valor para organizações, entidades públicas, empresas e turistas, incluindo para a geração de novos serviços para turistas;

– Projetos que promovam a redução da sazonalidade e/ou a dispersão territorial dos fluxos turísticos e a melhoria da experiência dos turistas, em particular no que se refere à fruição dos recursos e equipamentos turísticos, nomeadamente ao nível da informação, acessibilidade, bilhética e pagamento, em tempo real;

– Projetos que promovam a mobilidade inteligente no território, incluindo a interoperabilidade entre transortes, a desmaterialização de procedimentos de compra e de verificação de títulos de viagem, para uma experiência fluída dos turistas;

– Projetos que promovam a avaliação e gestão de impactos sobre a capacidade de carga de um recurso, evento ou território, incluindo a dimensão da pegada carbónica de fluxos turísticos;

– A implementação de soluções de base digital que contribuam para uma gestão eficiente da energia, da água e dos resíduos e para a descarbonização da atividade turística.

DESPESAS ELEGÍVEIS

Implementação de infraestruturas e de tecnologia (inclui hardware e software);

Aquisição ou desenvolvimento de sistemas e plataformas tecnológicas que permitam o fornecimento de dados em formato aberto, bem como o seu uso automatizado;

Implementação de plataformas para aumentar a interação e conexão colaborativa;

Prestação de serviços profissionais por parte de terceiros, incluindo assistência técnica, científica e consultoria, pelo período estritamente necessário ao desenvolvimento do projeto;

Ações de formação dos colaboradores para o desenvolvimento e implementação do projeto;

Despesas com ROC/CC.

METAS A ATINGIR

As metas propostas pela entidade beneficiária na estratégia de sustentabilidade
associada ao projeto para cada uma das seguintes áreas:
. Criação de valor, redução da sazonalidade, coesão do território, impacto nas comunidades locais, ambiente e recursos.

Duração máxima de 18 meses
São consideradas suficientemente cumpridas se houver evidência de que, pelo menos, quatro das mesmas foram atingidas.

ÁREA GEOGRÁFICA DE ABRANGÊNCIA

Território nacional

TAXAS DE FINANCIAMENTO

– Taxa base de apoio de 30% –

Majorações:
– Territórios de baixa densidade e projetos transfronteiriços: 20%; –
– Projetos que se integrem em estratégias de eficiência coletiva: 20%;
– Apoio fundo perdido até ao limite de 150 000€ por cada projeto ou por cada entidade, em caso de candidatura conjunta.